sábado, 24 de outubro de 2009

Educar propiciando condições dignas para a reinserção social.

    Todos sabem que a gestão de presídios no Brasil se torna sempre mais árdua nos momentos em que gestores não dispõe de meios para fazer cumprir o disposto no artigo primeiro da Lei de Execução Penal, a Lei  7.210 de 11 de julho de 1984, que trata especificamente dos caminhos que devem seguir a execução da pena em si.
     Quando as unidades penais dispõe de instrumentos práticos para a reinserção social do sentenciado ou internado, a gestão do cumprimento da pena se afigura menos drástica e traz por consequencia, poucos  problemas ao sistema. O fato de unidades prisionais terem projetos de educação e trabalho  implicará positivamente no meio social porque ao preparar um indívíduo para o retorno à sociedade livre, se este estiver pelo menos com uma perspectiva de vida extra muros lhe possa trazer melhorias, certamente, pensará duas vezes ou mais, antes de voltar a delinquir. Este fato propicia diretamente a baixa nos níveis de violencia tão banalizada nos dias atuais.
     Dentro dessa acepção foi  criado no ano de dois mil e cinco, numa parceria firmada entre a Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania e o Instituto FAL/COSERN, o projeto "Transforme-se" que vem desempenhando um papel imprescindível na reinserção social das pessoas presas do setor feminino do Complexo Penal Dr. João Chaves.
     O projeto em si, além de propiciar ocupação para as pessoas presas, trazem-lhes renda e ainda remição da pena a ser cumprida (a cada três dias trabalhados, diminui-se um do total da pena aplicada).
     Nestes quatro anos de funcionamento as internas já tiveram importantes participações em eventos de moda, inclusive com desfile de gala na primeira edição do Natal Fashion Week realizado no ano de 2007 no Centro de Convenções de Natal. Houve no primeiro ano de funcionamento do projeto a primeira "João Chaves Fashion Week", em alusão ao evento de modas. Há também a participação das internas do presídio feminino quando de eventos do tipo feiras de artesanato, onde os produtos criados pelas internas são expostos em "stand," além do tradicional desfile que ajudam a ampliar os horizontes do projeto.
     Na João Chaves são produzidas diariamente dezenas de bolsas que são comercializadas pelas próprias pessoas presas em eventos ou mesmo na lojinha do "Transforme-se" situada no Praia Shopping, na Central do Cidadão. As bolsas do projeto já ganharam  o Brasil e na atualidade, estão em exposição permanente no Distrito Federal, na sede do Departamento Penitenciário Nacional. A marca "Transforme-se" está ficando bastante conhecida, até pelo apelo social trazido com o projeto e principalmente pela qualidade dos produtos fabricados que além de muito vistosos tem uma excelente durabilidade.
     Esta é uma iniciativa do poder publico em parceria  com outros setores da sociedade para que se propiciem melhores condições de vida no sistema prisional e por consequencia, preparando a pessoa presa para encarar um mercado de trabalho, diminuam-se os temíveis índice de reincidencia, grande vilão da segurança pública na atualidade.

Um comentário:

efigenia disse...

ADOREI O ARTIGO(MUITO BEM ESCRITO)!!!!!!!!!!!!!

EFIGENIA

Pesquisar este blog

Artigos

Gestão do Blog

Minha foto
Militar Estadual - Estudante de Direito - Área da segurança pública.